Biofeedback

Quando se fala de Biofeedback e muitas vezes fala-se demais ou inapropriadamente, é útil recordar que existe uma definição estabelecida e aceite pelos vários interlocutores na matéria. Assim, vamos antes de mais nada lembrar essa definição.

Biofeedback é um processo que capacita um indivíduo a aprender a alterar a actividade fisiológica com o propósito de melhorar a saúde e o desempenho. Precisos instrumentos medem a actividade fisiológica, como as ondas cerebrais, funcionamento cardíaco, respiração, actividade muscular e temperatura da pele.
Estes equipamentos, dão ao utilizador o “feedback”, rapidamente e de forma exacta. A apresentação desta informação – muitas vezes em conjunto com alterações de pensamentos, emoções e comportamentos – suporta as desejadas mudanças fisiológicas. Ao longo do tempo, estas mudanças podem permanecer sem o uso continuado de um instrumento.

Aprovado em 18 Maio de 2008 por:
Association for Applied Psychophysiology and Biofeedback (AAPB)
Biofeedback Certification Institution of America (BCIA)
International Society for Neurofeedback and Research (ISNR)

O Biofeedback está a ser utilizado largamente a nível mundial para ajudar a resolver problemas comportamentais e/ou de desempenho pessoal. É conveniente abordar em separado o Neurofeedback por ser uma área especializada de Biofeedback. Assim, iremos abordar as duas técnicas mais usuais de biofeedback que podem ser utilizadas individualmente ou em conjunto.

1 Variabilidade da Frequência Cardíaca. (HRV – Heart Rate Variability)
2 Resistência Galvânica da Pele. (GSR – Galvanic Skin Response)

Equipamentos portáteis ou hardware, conectados com software especifico, utilizando uma ou as duas tecnologias, permitem ao utilizador a monitorização da sua actividade fisiológica visando a obtenção de mudanças que possibilitam a melhoria da sua saúde e/ou do seu desempenho.

Equpamento Portátil

Equpamento Portátil

Equipamento conectado a PC

Equipamento conectado a PC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estes equipamentos aliados a técnicas de controlo comportamental têm proporcionado aos seus utilizadores reconhecidas melhorias nas áreas: cognitiva, controlo do stress, atenção/concentração, desempenho físico, para mencionar algumas.